Você pode ter todo o preparo físico e o equipamento mais top. Porém, sem saber as técnicas básicas  de surf para começar a surfar, não vai conseguir passar da espuma às vezes, nem sair da areia!

Para te ajudar a começar, hoje vou falar sobre algumas dessas técnicas para você que quer aprender a surfar do zero. Dá uma olhada:

Quais técnicas básicas de surf preciso saber para aprender a surfar do zero?

 

Além da natação, é claro, algumas técnicas básicas de surf e outros conhecimentos são necessários. As principais técnicas básicas do surf são:

  1. Pop-up ou levantada;
  2. Drop;
  3. Remada;
  4. Mergulho tartaruga ou Turtle roll;
  5. Leitura de onda.

Esses são os conhecimentos indispensáveis que você precisa ter antes de se arriscar na prancha e começar a surfar do zero. A maioria delas, apesar de simples, exigem técnica, por isso o ideal é ter alguém com experiência para te orientar.

5 técnicas básicas de surf para quem é zerado

 

1. Pop-up

 

O movimento do pop-up, também conhecido como levantada, é o que o nome já sugere: a forma correta de se levantar na prancha.

O segredo é dividir a movimentação em três etapas:

  • Primeiro, levante seus ombros rapidamente até que os braços estejam completamente estendidos. Sua costas devem estar curvadas e a maior parte do peso do corpo deve estar sobre os braços, deixando as pernas “livres”.
  • Em seguida, levante os quadris um pouco e traga seu pé de trás em cima da prancha de forma perpendicular e na mesma altura do outro joelho para que você fique totalmente centralizado na largura da prancha.
  • Finalmente, levante-se trazendo o outro pé a frente, mantendo os joelhos parcialmente dobrados como na posição de um agachamento.

 

 

2. Drop

 

Na posição correta do drop, os dois pés devem estar centralizados na largura da prancha, deixando o peso do corpo mais apoiado no pé da frente do que no de trás.

Para dar mais equilíbrio e manter o centro de gravidade, as duas pernas devem estar dobradas e com os joelhos juntos para facilitar a transferência de força dos ombros para a prancha facilitando as curvas.

Os braços devem estar posicionados da seguinte forma: o da frente estendido para frente e apontando levemente para baixo; o de trás levantado para o lado, com o cotovelo ligeiramente dobrado e a mão para frente.

 

3. Remada

 

Para remar da forma correta, você deve manter os pés juntos e levantados, com os joelhos levemente dobrados, para que eles não fiquem arrastando na água. Os ombros, cotovelos e o peito devem estar levantados, arqueando as costas.

Durante a remada, dê braçadas alternadas, lembrando que o impulso principal acontece na “segunda parte” da braçada — ou seja, quando o surfista tira o braço da água. Para potencializar este impulso, estenda totalmente o braço antes de tirá-lo da água, fazendo o movimento completo.

 

 

4. Turtle roll

 

O turtle roll, ou mergulho da tartaruga, é a forma mais fácil de furar ondas quebradas com pranchas de grande volume e sem bico, como longs e funs com bico arredondado. Portanto, aprender essa técnica é essencial para quem quer aprender a surfar do zero.

Para que a técnica da tartaruga funcione, é preciso que a prancha esteja perpendicular à onda, formando um ângulo de 90º.

A cerca de 2 metros da onda quebrada ou prestes a quebrar, já deitado na prancha, tome fôlego e agarrando as bordas, empurre um dos lados da prancha e puxe o outro até virá-la.

Dentro da água, mantenha-se com o corpo um pouco afastado da prancha para que o bico entre na água. Mantenha as mãos firmes nas bordas, mas sem ficar com os braços muito rígidos. Quando sentir que a onda passou, desvire a prancha e deite-se novamente para retomar a remada.

 

5. Leitura de onda

 

Chamamos de “leitura de onda” a habilidade de interpretar as principais características de uma onda no outside antes que ela quebre. Em geral, a  maior dificuldade na leitura das ondas é o fato de nenhuma ser igual a outra.

Por isso, é preciso muito estudo para ganhar experiência e até uma boa dose de talento para prever onde a onda vai quebrar primeiro, para onde e com qual velocidade ela abrirá, onde haverá sessões rápidas ou “fechadeiras”.

O bom surfista é capaz de prever quase todo comportamento individual da onda e consegue planejar suas manobras antes mesmo de a onda começar a quebrar.

No caso de quem está começando agora no surf, o ideal é praticar a observação e estudar sobre temas como ventos, marés e correntezas. Caso você não conheça o pico, troque uma ideia com surfistas locais e com os salva-vidas para saber mais sobre o tipo de onda do lugar.

 

Pronto para cair na água? Não vá com tanta pressa! Minha dica final é: comece na areia. Treine a movimentação fora da água, especialmente a levantada. Em seguida, treine no inside (parte rasa, da espuma) e, só depois de conseguir a confiança na levantada e manejo da prancha, tente remar para o outside.

Como saber se aprendi mesmo a surfar?

 

Uma coisa que pode desanimar os mais apressados, mas que é um fato sobre o surf é que aprender a surfar de verdade leva tempo. Isso porque o segredo está na prática e na frequência, além, é claro, do domínio das técnicas básicas de surf.

Aqui na EasyDrop, consideramos que o aluno realmente aprendeu a surfar no momento em que ele está com a base firme,  dropando ondas no outside com facilidade, conseguindo fazer a leitura das ondas e fazendo curvas para os dois lados.

Mas vale lembrar, ainda, que no surf é praticamente impossível aprender tudo, sempre há uma nova manobra ou um novo desafio pela frente. Isso porque nenhum pico é igual ao outro e, mesmo surfando sempre no mesmo lugar, as condições de surf variam todos os dias.

Por isso, nunca pare de aprender e continue evoluindo seu surf sempre! Curtiu as dicas? Então aproveite para conhecer também os principais tipos de pranchas de surf!